Restaurante da moda: Juvia

Acompanhar os restaurantes descolados em Miami dá um trabalhão porque eles, como a moda, mudam a cada estação. O Juvia despontou nesse verão e promete manter o status pelo menos até o fim do ano. Localizado na penthouse do prédio 1111 Lincoln, famoso por incorporar uma garagem desenhada pela firma de arquitetura Herzog & de Meuron, o atrativo é mesmo o ambiente que enche os olhos: um terraço à céu aberto que incorpora uma parede verde criada pelo famoso botanista Patrick Blanc, o salão principal com cozinha aberta e um bar animado, e vistas maravilhosas de Miami Beach.

A cozinha fica sob o comando de chefes provenientes de restaurantes famosos, inclusive o Nobu, mas a comida, que mistura influências da Ásia, Peru e França, é menos estrelada. Nós experimentamos quatro pratos: o ceviche de camarão e uma salada de palmito havaiano para entrada e um magret de canard e confit de carne de porco como prato principal, mas infelizmente, nenhum se destacou.

salada de palmito

O preço de $100 por pessoa com uma garrafa de vinho de segunda, é salgadinho. A minha sugestão? Ir ao Juvia tomar um drink no terraço antes ou depois de jantar no Yardbird ou no Macchialina.

Fotos: divulgação

Anúncios

Food Trucks em Downtown

Ms Cheezious

Os food trucks, os caminhões que servem comida de rua com um toque gourmet, continuam fazendo sucesso em Miami e agora a gente não precisa vascular o twitter para encontrá-los. De hoje, até o fim de setembro, toda quarta feira, das 5 às 9 da noite, alguns dos food trucks mais populares da cidade vão se reunir no Bayfront Park, no coração de Downtown. Com presença de DJ pra embalar o pessoal, a pedida é trazer uma garrafa de vinho e  fazer um picnic informal no parque, que tem linda vista de Miami Beach e Key Biscayne.

Cada noite vai trazer um grupo diferente de caminhões, mas os melhores, como o Latin Burger, o Ms Cheezious (que só vende queijo quente incrementados) e o  Sakaya Kitchen ( de comida asiática)  já confirmaram presença.

Foodtrucks no Bayfront Park em Downtown

Miami Spice: barganha culinária

O restaurante DB Bistro do chefe Daniel Bouloud

Comer fora em Miami em agosto e setembro é muito mais gostoso e bem mais barato já que os melhores restaurantes da cidade participam de Miami Spice, um dos eventos mais legais da culinária local. Durante a promocão são servidos menus com entrada, prato principal e sobremesa com preços de $19 ou $23 pro almoço e $33 ou $39 pro jantar. Pra dar uma espiada nos menus, conhecer os restaurantes participantes e fazer reservas, a pedida é visitar o site da promoção, pois alguns restaurantes oferecem o cardápio especial em dias específicos.

Eu dei uma olhadinha na lista  dos restaurantes participantes e fiz uma listinha dos meus favoritos: Azul, Cecconi’s, DB Bistro Moderne, Edge Steak & Bar, Scarpetta e o The Dutch.

Quem tiver em Miami neste período não deve perder. E fiquem de olho no facebook do blog onde estarei incluindo fotos dos restaurantes e dos pratos mais gostosos da promoção.

Restaurante da moda: Macchialina Taverna Rustica

Os restaurantes de tapas são tendência em Miami atualmente, e o mais novo deles é o Macchialina, que abriu há um mês. Criado pelo mesmo grupo de amigos que abriu o Pubbelly e o Barcelloneta, este restaurante segue a mesma formula: localização fora do circuito batido de Miami Beach, tapas e pratos pequenos pra serem compartilhados e ambiente aconchegante.

O restaurante não aceita reservas, então é importante estar preparado pra esperar. Eu estive lá ontem com o marido pro jantar, chegamos um pouco antes das 8 e sentamos em menos de 15 minutos. Meia hora depois, a fila de espera já estava bem maior, com várias pessoas no bar e no banco na frente do restaurante.

O chefe veio do famoso e delicioso Scarpetta, o italiano sofisticado do hotel Fountaineableau, então tudo é preparado de forma autentica com um toque moderno. Nós começamos com uma salada de escarola com pistache e queijo pecorino ($10) e com um polvo grelhado servido sobre um purê de batatas e bacalhau ($14). Depois pedimos um carpaccio ($13) e uma tortinha de berinjela ($9). Um ravioli de burrata com tomates preservados ($15) foi o prato principal. Como é o costume nesse tipo de restaurante, os pratos são super pequenos, então você tem que pedir uma variedade pra se sentir satisfeito. A lista de vinhos é predominantemente italiana com preços entre $50 a $100 dólares por garrafa e $10 a $15 por taça com opções como Chianti, Barbera, Brunello e Nero d’Avola.

Eu não sou muito fã desta tendência de tapas, porém a qualidade da cozinha neste restaurante é realmente superior aos italianos básicos. O ambiente é barulhento e animado, e o serviço super atencioso. A clientela é formada basicamente dos residentes de South Beach pois poucos turistas frequentam esta região da Alton Road. Perfeito pra ir com um grupo de amigos ou para um jantar casual depois de um dia de compras

Dica de hotel de luxo: Four Seasons Hotel Miami

Recentemente eu fui convidada pra ficar no hotel Four Seasons aqui em Miami para experimentar o serviço e o restaurante novo.

É meio estranho ficar em hotel na cidade onde a gente mora mas eu resolvi tirar o fim de semana pra dar uma turista mesmo. Nós chegamos na sexta feira no fim da tarde e saimos no domingo, tentando aproveitar tudo o que hotel tinha pra oferecer.
photo (3)

Eu adoro a marca Four Seasons e já fiquei em vários ao redor do mundo. O de Miami fica em um prédio de 70 andares, destes de uso misto, ou seja, inclui apartamentos, escritórios e o hotel. Então, ele tem uma cara meio corporativa e pelo lado de fora é pouco charmoso. O outro probleminha é que o lobby fica no sétimo andar. Ou seja, você chega na entrada e tem que pegar um elevador pra fazer o check in no lobby do hotel propriamente dito.

Embora não fique na praia, a piscina do Four Seasons é um show e o terraço tem um toque tropical sofisticado. Como é sempre o caso nos hotéis da marca, o serviço ao redor da piscina e impecável. São mimos como borrifadas de  Evian, toalhinhas geladas, revistas, além de bebidinhas e comidinhas. A piscina Palm Grove, rasinha e pontuada por palmeiras, é o lugar ideal pra dar uma relaxada em uma rede.

Os apartamentos ficam entre os pisos 20 e 29 e a maioria tem vista panorâmica, mas os de categoria premier, situados diretamente de frente pra Baia de Biscayne, oferecem as melhores vistas. Todos são grandes e com decoração sofisticada, embora meio insossa (achei um defeitinho). Os banheiros são impecáveis e as camas, criadas especialmente para a marca, divinas (eu até comprei uma para minha casa).

Vocês podem ler sobre o novo restaurante do hotel, o Edge, aqui neste post mas eu adianto que ele é uma boa pedida para o brunch de domingo ou prum jantar a dois, mesmo que você não esteja hospedado no hotel.

E antes que eu me esqueca, o hotel tem uma super academia, com yoga, pilates e outras aulinhas sem custo adicional. Embora eles não cobrem o resort fee, aquele taxas adicionais que eu detesto, o wi-fi não é free.

Não dá pra falar do Four Seasons em Miami sem mencionar sua coleção de arte. Avaliada em mais de três milhões de dólares, ela enche os olhos. A escultura de Fernando Botero, que ocupa lugar especial no lobby, chama a atenção, mas há arte em todos os cantinhos, inclusive pinturas originais nos apartamentos. Tudo foi criado especialmente pro hotel e são tantas obras que eles podem se dar ao luxo de colocar uma colagem do artista brasileiro Vik Muniz, considerado um superstar da arte contemporânea, escondida em um cantinho.

Mas sinceramente, tem um monte de hotel de luxo em Miami e todos são lindos. O que diferencia o Four Seasons é o serviço, a atenção aos detalhes e a amabilidade dos funcionários. Eles estão sempre prontos não apenas pra servir, mas pra surpreender, pensando naquilo que nem você sabia que queria.

O Four Seasons é perfeito pra quem procura mimo e serviço e prefere ficar um pouco longe da loucura de Miami Beach.

Restaurante Badalado: o The Bazaar

A novidade culinária do verão em Miami é o restaurante The Bazaar by José Andrés no Hotel SLS em South Beach, filial do de Los Angeles. O chefe é o famosíssimo espanhol José Andrés e como em Los Angeles, o restaurante tem um cardápio de tapas tradicionais e moderninhas. O menu é imenso, e vem influenciado pelos pratos e sabores da América Latina e de outras culturas.

A decoração, de Philippe Starck, é surrealista e como em Los Angeles, o salão é dividido em dois espaços. O Rojo, como diz o nome, é decorado em vermelho e tem um ambiente aconchegante. Com vista pra cozinha aberta, o outro salão, chamado Blanca, é mais sofisticado.

As tapas tradicionais são de ótima qualidade mas nada muito diferente: embutidos, queijos, azeitonas. O barato fica por conta das tapas modernas: o Cubano, por exemplo, é um sanduiche estilizado com recheio de queijo suíço, presunto ibérico e mostarda, servido sobre rochas (USD 12). Os churros são feitos de mandioca e recheados com pasta de amendoim servida em um tubinho parecido com os de pasta de dente (USD 9). Um risoto de arroz cozido com leite de coco, gengibre e vieiras vem dentro de um coco verde (USD 18).

Foto de Laine Doss

Eu não sou muito fã de tapas, sempre saio desses restaurantes achando que comi demais, mas não satisfeita. Mas eu adorei o The Bazaar em LA e o de Miami é quase tão legal.

A dica fica pra quem quer conhecer um restaurante da moda.

Festa: Inauguração do restaurante Edge no Four Seasons

Antes de viajar pra Los Angeles, eu  fui a festa de inauguração do novo restaurante do Four Seasons, o Edge Steak, que abriu fazem alguns meses e eu até já tinha contado pra vocês. A inauguração oficial tinha sido adiada porque o terraço do restaurante demorou um tempão pra ficar pronto. Agora que está tudo terminado, o hotel fez uma festona pra celebrar.

O restaurante é uma delícia mas tenho certeza que o terraço vai bombar. Primeiro porque é um espaço super bonito com vista pras piscinas do hote, e pros prédios de Downtown, mas principalmente porque na região da Brickell não tem muitos restaurantes com espaços ao ar livre e ambiente chique.

A festa foi super legal com um DJ dentro do restaurante e um trio cubano tocando no terraço. Rolou champanhe a noite toda e os chefes serviram ostras e carnes preparadas com o Edge Rub (um tempero especial preparado com pimentas cultivados no jardim do hotel). O chefe patissier preparou sorbets usando nitrogênio liquido, o que permite que ele seja feito na frente do freguês sem ir ao congelador. Uma ideia super legal pra festas pois o processo é diferente, com fumaça como efeito especial.

Eu recomendo o terraço pra drinks e aperitivos ou pra um jantar ao ar livre. Se você for a dois e quiser um ambiente mais romântico, escolha uma mesa dentro do restaurante. As mesas comunais e os sofas do terraço são perfeitos prum grupo de amigos.

Ásia de Cuba: um restaurante que é a cara de Miami

Sábado eu fui convidada pra jantar no Ásia de Cuba, o restaurante do Mondrian South Beach, que é um hotel butique badalado (veja o post aqui).

Apesar de não ser novo, o Ásia de Cuba é um daqueles restaurantes modernos, mas que serve comida gostosa em um ambiente animado. O hotel fica de frente pra Baia de Biscayne, ou seja, não é do lado da praia, mas a vista é linda, principalmente à noite. Eu sentei no interior do restaurante, mas as mesas externas, na beira da piscina são uma ótima pedida em uma noite fresca.

A minha reserva era pras 20:30h mas chegamos um pouco mais cedo e o bar já estava lotado, cheio de gente animada. Eu normalmente não tomo coquetel, mas os mojitos de frutas vermelhas estavam com uma cara tão boa que eu não resisti. E valeu a pena mesmo, super refrescante e servido em copos de geleia estilizados com o toque de um pauzinho de cana-de-açúcar pra enfeitar.

Como o nome indica, o menu é asiatico com toques latinos, uma fusão de sabores pronunciados em pratos fartos e perfeitos pra compartilhar. Nós pedimos um tartar de atum que foi preparado com azeitonas, amêndoas e pedacinhos de coco e as Gambas Mai Tai, camarões gigantes em molho de curry tailandês. O arroz que acompanha o prato é servido enrolado em folha de bananeira o que o faz  adocicado, oferecendo um contraste perfeito ao curry apimentado.

 

O Ásia de Cuba é perfeito pra ir com um grupo de amigos e sentar nas mesas comunais, experimentando um monte de pratos, ou pra quem quer um restaurante com um ambiente que é a cara de South Beach. Os preços das entradas vão de 12 a 17 dólares e os pratos principais de 25 a 48, mas como as porções são grandes e  feitas pra compartilhar, o custo fica mais razoável. A carta de vinhos tem um número limitado de garrafas de grandes produtores, com preços a partir de 45 dólares (os melhores ficam acima de 80). Há também uma boa seleção de saquês e cervejas.

Gasolina ou champagne? Bar de tapas e loja de vinhos em Miami

Quem passa por este posto de gasolina na esquina da US1 com a Rua 17 não vê nada de especial. Mas quem mora em Miami sabe que ali fica um excelente bar de tapas e loja de vinhos. As prateleiras do El Carajo International Tapas and Wines estão estocadas com vinhos de quase todas regiões produtoras do mundo, e as geladeiras repletas de champanhe.

E não pense que você  vai encontrar marca de supermercado. Na minha última visita, eu vi Kistler, Hourglass, Pride e Shafer, todos produtores cultuados do Napa Valley. E como não podia deixar de ser, o foco são os espanhóis com rótulos que incluem Vega Siciliana, Alto Moncayo, Alion e Torre Muga.

A dica é escolher uma garrafa e pedir uma rodada de tapas, que aqui são tradicionais, e incluem bons queijos, embutidos, boquerones e grelhados. O ambiente, claro, é bem casual e a clientela, evidenciada pela fila de carros no estacionamento, chega de caminhões a Porsches.

Três bares badalados para a happy hour em Miami

Em Miami, o que não falta são lugares descolados pra happy hour, e os mais animados tem sempre uma clientela bem definida. Aqui estão meus favoritos e umas dicas dos looks pra cada local, para ajudar vocês a se enturmam com as diferentes tribos:

Zuma– a comida deste japonês é deliciosa, mas a maior atracão é a happy hour nas quintas e sextas feiras. A localização do restaurante, perto de Downtown, traz o povo depois do trabalho e é um buchicho sem fim. O bar é perfeito pra quem estiver interessado (a) em arranjar um namoradinho (a) que trabalha em finanças, imóveis ou nas firmas de advocacia da região. O look das meninas aqui é super feminino, e os sapatos são altíssimos. A Olivia Palermo, com seus vestidinhos românticos ou shorts curtos, é o modelo.

zuma

Olivia-Palermo

Yardbird– a comida é caipira moderninha, o ambiente rústico chique e os drinks dos melhores (não deixe de experimentar o blackberry lemonade que é demais!). Embora esteja localizado a passos da Lincoln Road, a região mais turística de Miami Beach, são os moradores da região que ocupam o bar e as mesas comunais desde a happy hour até a alta madrugada. O estilo aqui é  casual e a clientela bem diversificada, com gente de todas as idades. A Alexa Chung, que tem um estilo despojado, pode servir de inspiração pro look das meninas.

Edge, Steak and Bar– o restaurante é novo e a happy hour já virou point pro pessoal da Brickell, mas é o terraço que bomba nas sextas pra happy hour. Como o bar fica dentro do hotel Four Seasons, os frequentadores da happy hour incluem hóspedes, mas a maioria do pessoal mora ou trabalha no bairro. Ninguém se veste casualmente, e a pedida é to dress to impress. As meninas vão estar de bolsa Chanel, Dior ou Celine e os meninos de relógios Rolex ou Le Coultre. A inspiração é moça de sociedade, tipo a Caroline Sieber, que vocês já conhecem daqui.