Minhas dicas de Miami na revista da TAM

 

Oi gente!  O pessoal da nova revista da TAM, que  agora se chama LATAM, pediu minhas dicas para um dia bem luxuoso em Miami.  Entre as minhas escolhas estão as pool parties do hotel Standard, a Happy Hour que acontece na última sexta de cada mês no bar Bahia no  Four Seasons, compras na butique En Avance no Design District e jantar no restaurante  Matador Room.

Quem voar pela LATAM esse mês, não deve deixar de ler a matéria que também inclui dicas de duas outras pessoas bem descoladas.

E pra lembrar, eu estou desaparecida daqui, mas continuo dando dicas no instagram @miamidomeujeito. Sigam lá!

Anúncios

Dicas de Palm Beach pra quando você for

Um leitor do blog pediu dicas de Palm Beach (lembram que fiz um post antes de ir pra lá recentemente?)

No post anterior já tinha mencionado que meu lugar preferido para uma escapada de Miami é Naples, mas que desta vez decidimos variar.

E não nos arrependemos. Palm Beach foi perfeita para três noites com cinco adultos e duas crianças pequenas.

PBF_140_screen-hi-res

As razões para passar alguns dias de verão em Palm Beach são bem específicas: relaxar na praia; praticar esportes aquáticos; fazer compras e passeios na luxuosa Worth Avenue, onde todas as grandes marcas internacionais têm butiques e onde ficam algumas das melhores lojas de antiguidades e brechós dos Estados Unidos.

E porque Palm Beach é uma das cidades de praia mais glamurosas dos Estados Unidos.

fspalm

nosso apartamento no four seasons em palm beach

photo (5)

Em um lugar como Palm Beach, escolher um resort legal é fundamental, pois além de passear na cidade, fazer compras e sair para jantar, não há muito o que fazer nos meses quentes (na alta temporada, que vai de novembro a abril, a cidade vira palco de grandes festas filantrópicas, ópera, sinfonia e polo).

PBF_460_screen-hi-res

o living room no hotel four seasons em palm beach

Escolhemos o Four Seasons Resort Palm Beach, porque é pequeno e oferece apartamentos conectando, além de ficar na praia e ter um kids club grátis (detesto os resort fees, aquelas taxas extras que muitos hotéis cobram para o uso de serviços).

por do

piscina e por do sol no four seasons palm beach

photo (4)

O hotel foi perfeito. Os apartamentos premier, com vista para o mar são extremamente espacosos e decorados com uma vibe bem tipo casa de praia (alguns resorts em Palm Beach, como o Breakers,  nao têm o “pé na areia” e são tão formais que você se sente que deve ser sempre “arrumado.”

Rapidamente estabelecemos uma rotina: passar a manhã na praia, almoçar no restaurante pé na areia do resort, coquetéis ao pôr do sol, e um jantar especial, regado a muito vinho.

clam

Na primeira noite, participamos de um clam bake, uma espécie de paella de verão, típica dos estados americanos da Nova Inglaterra. O clam bake do resort levou dezenas de hóspedes à praia no começo da noite (a dica de vinho foi o Kistler, um chardonnay da Califórnia que vale muitíssimo a pena experimentar).

No segundo dia, depois das atividades matutinas, que no meu caso foi paddleboarding, almoçamos e fomos à Worth Avenue.

worth

Mesmo quem não é grande fã de compras vai achar algo interessante na Worth Avenue.

Formada por pequenas galerias com arquitetura mediterrânea, a avenida oferece, além das marcas “chiques”, lojinhas bem interessantes. Um exemplo é a Stubbs and Wootton, que vende os slippers feitos a mão usados por quem entende e tem muito senso de humor.

E com seu desfile de bilionários e de carros esportivos, tem sempre muita coisa pra se ver, além das vitrines.

stubbs

A minha boutique favorita na Worth é a Gipsy, que vende marcas mais hypadas como Isabel Marant, Rick Owens, Band of Outsiders, Erdem e Victoria Beckham.

Gypsy1

O restaurante mais divertido do destino é o Buccan, cujo dono é o ex-chefe do Azul no hotel Mandarin Oriental em Miami (que por sinal fechou recentemente). O ambiente é animado e mais jovem do que o da maioria dos restaurantes da “ilha” (como Palm Beach é conhecida pelos insiders). Os pratos são servidos para serem compartilhados e há uma grande variedade de opções vindas da culinária de várias regiões do mundo. O vinho da noite foi um Failla Keefer Ranch, pinot noir americano que figura entre os melhores produzidos aqui.

As noites de verão em Palm Beach são tranquilas. Não há baladas e a maioria dos lugares fecha cedo.
Nós terminamos todas as noites no bar do resort, com uma taça de champanhe.

E se não bastasse toda a diversão, o Ozzy Osbourne, de quem sou fã desde a adolescência, estava hospedado no mesmo hotel.

Em resumo – três dias perfeitos.

Palm Beach – destino perfeito para um bate e volta de Miami

PBF_438_screen-hi-res

Neste fim de semana, meu amigo Christian que mora na França vem pra Miami com a família e resolvemos levar a turma toda para Palm Beach. Normalmente, quando quero dar uma escapada aqui por perto, acabo indo para Naples (post completo aqui).

Desta vez, para variar, escolhemos Palm Beach para ficar no Four Seasons, que tem um kids club perfeito para as crianças.

PBF_229_screen-hi-res

O resort four seasons em palm beach

Palm Beach fica perto de Boca Raton e de Fort Lauderdale, mas se destaca por ser bem mais sofisticada e por oferecer opções de compras e hotéis de primeiríssima. Ao mesmo tempo, com praias bonitas, ciclovias e ambiente bucólico, a cidade é perfeita para quem adora o mar, pescaria e esportes aquáticos.

cz

A capa do livro, One Upon a Time, com foto tirada em Palm Beach

Palm Beach foi construída como o primeiro balneário da Flórida e passou por um período douradíssimo durante os anos 50 e 60 quando as principais famílias americanas- os Kennedys, os Pullitzers, os Lauders (da marca Estee Lauder) – passavam a temporada de inverno na cidade (quem se interessar em conhecer este período, deve procurar os lindos livros de fotografia do Slim Aarons como o Once Upon a Time).

Hoje, estas famílias tradicionais e novos moradores famosos, dentre eles o Michael Kors, a Tory Burch e a Vera Wang, garantem o glamour.

flagler museum

Flagler Museum

Mas além do passado ilustre, Palm Beach tem muita coisa a oferecer ao turista. Estou planejando aproveitar a praia e o spa do resort, fazer umas comprinhas na Worth Avenue (a Rodeo Drive de Palm Beach) e nas famosas lojas vintage do lindo centrinho, ir ao Flagler Museum, a mansão do fundador da cidade, que mantém uma coleção de artes decorativas (vcs sabem que amo este tipo de museu, como o Viscaya aqui em Miami e o Jacquemart Andre em Paris).

Eu prometo fazer um post com todas as dicas de restaurantes, lojinhas e passeios que valem a pena conhecer. Até lá, aproveitem para acompanhar tudo pelo Instagram do blog (@miamidomeujeito).

Vale lembrar que Palm Beach não é o mesmo que West Palm Beach. Muita gente confunde as duas cidades, que embora próximas, são independents e completamente diferentes (West Palm Beach não tem muito apelo pra quem visita).

Restaurantes em New York

The-Modern

The Modern

picholine

Picholine

abc

ABC Kitchen

nomad 2

O Atrio do The NoMad

Quando estava em NY recentemente, uma leitora do blog pediu dicas de restaurantes. Tentar acompanhar as novidades gastronômicas em New York é humanamente impossível. Mas se come muito bem por lá, das pretzels dos ambulantes aos restaurantes estrelados pelo Michelin.

A minha listinha, como tudo neste blog, é suuuper pessoal e não segue nenhum critério específico. São lugares que eu frequento. Alguns, como o The Modern, há anos. Outros, como o The NoMad, que conheci recentemente, mas onde pretendo voltar com certeza.

The Modern– localizado no MAM, a passos da quinta avenida, este restaurante é uma joia. Sofisticado, com arquitetura que faz jus ao museu, e com um bar animadíssimo, é o lugar perfeito para uma parada para o almoço ou para um jantar especial. O restaurante é divido em dois ambientes: o bar, mais casual e animado e o elegante salão. Os menus são distintos nos dois ambiente, com pratos mais simples, mas não menos deliciosos, servidos no espaço do bar.

Picholine– este foi um dos primeiros restaurantes onde o marido me levou em NY.  Tradicional, romântico, ele é perfeito para um jantar a dois depois de assistir um show na Broadway ou no Lincoln Center, que fica logo em frente.

ABC Kitchen– localizado dentro da loja de decoração ABC, na lower Broadway, (pra quem não sabe, a famosa Broadaway corta Manhattan do norte ao sul), este restaurante foi decorado cuidadosamente com o tema de uma casa de fazenda chique. A comida, servida em pratos pequenos para serem compartilhados, vêm assinada pelo famoso chefe Jean-Georges. Eu indico para quem esteja passeando na região deDowntown.

The NoMad– um dos restaurantes mais badalados em NY ultimamente, ele fica no The Nomad Hotel e leva a assinatura do estreladíssimo chefe do Eleven Madison Park (uma das casa mais exclusivas da cidade). O restaurante fica dividido em ambientes distintos, indo de um espaçoso e animado átrio coberto por um teto de vidro a uma biblioteca intimista. A comida, francesa, mas com toques internacionais (o nômade do nome), é perfeita. O frango recheado com brioche e foie-gras é de lamber os beiços, como dizia a minha vó. Reserve com muita antecedência pelo site do restaurante.

nomad

NoMad em NY- tem que reservar com antecedência

Outros restaurantes que eu adoro e que sempre valem a pena? Sarabeth’s pro brunch, almoço no A Voce (sente perto da janela para aproveitar a vista), o Grammercy Tavern para um jantar elegante e o Beirgarten do hotel The Standard, para uma refeição casual e um chopp  depois de um passeio pela High Line.

 

 

Momentos de Los Angeles no Instagram

california

hollywood

nobu

american vintage

Compras na Melrose

american vintage2

Lojas vintage na Melrose

A piscina do hotel Four Seasons

A piscina do hotel Four Seasons

beverly wilshire

O hotel Four Seasons Beverly Wilshire, onde Pretty Woman foi filmado

ME HErmes

O look em Los Angeles é super relax

A viagem para Los Angeles foi curta mas o objetivo era escapar do calor louco de Miami e relaxar um pouco.

Entre os destaques: almoço no Nobu em Malibu e jantar no CUT no hotel Beverly Wilshire (conhecido por ter sido local da filmagem do filme Pretty Woman); comprinhas nas lojas vintage da Melrose em West Hollywood e de Abbott Kinney em Venice; a caminhada no Runyon Canyon.

De resto foi relaxar na piscina super bem frequentada do hotel Four Seasons onde ficamos hospedados (recomendado).  Para mais dicas de LA, veja este post e siga o blog no instagram pelo @blogmiamidomeujeito.

Dicas de Paris para quando você for

paris

Vestidinho da IRO comprado na Le 66

Recentemente, uma conhecida me mandou um email pedindo dicas para uma viagem a Paris. Ela já conhece os pontos principais e nesta viagem queria ir além do Louvre, da Torre Eiffel e dos cafés tradicionais.

Depois de pensar um pouquinho e tentar editar o máximo possível, acabei com uma lista enxuta que deve ser legal para vocês também.

Moda

Le 66 – esta multimarcas fica em uma daquelas galerias bregas do Champs-Élysées. Mas as aparências enganam: a loja é descolada e estoca uma vasta coleção de designers, alguns em começo de carreira, difíceis de encontrar em outro lugar. Impossível não comprar alguma coisa.

montaigne-market-une

Montaigne Market

Montaigne Market – para os amantes da moda, esta butique é o paraíso. Tudo é especialíssimo, combinando as mais luxuosas grifes com designers mais modernosos. É quase um museu! E os preços são condizentes com obras de arte também. Vá preparado para gastar ou aproveite apenas para ver vitrine.

Zadig & Voltaire – quando eu penso na jovem francesa atual, a imagem que me vem a cabeça não é de uma mocinha chique, vestida de tubinho preto e echarpe, mas sim da Charlotte Gainsbourg de jeans preto com camiseta e botinha da Zadig & Voltaire. Se o estilo Jane Birkin, adaptado para o século 21 fica legal em você, dê uma passadinha em uma das lojas desta cadeia (tem uma em cada esquina). Ou compre a marca aqui em Miami (post aqui).

le comptoir

Restaurantes

O Le Comptoir des Relais tem um pouco de tudo: chefe famoso, bons preços, comida deliciosa e clientela que mistura residentes e turistas. A pedida é o menu degustação, único e sem substituições, servido no jantar (as mesas ficam coladas umas nas outras no salão apertadíssimo). Só não se esqueça de reservar com muitas semanas de antecedência, porque entra ano sai ano este restaurante continua sendo um dos preferidos da cidade. O almoço, em estilo brasserie, é uma boa opção para quem não conseguir reserva para o jantar.

La Regalade- bistrô gastronômico que atrai turistas, parisienses e executivos da região do 14 arrondisement. O chefe abriu recentemente uma filial, o La Regalade St Honore, servindo a mesma comida para a clientela fashion do bairro e mais conveniente para os turistas.

Le Cinq e L’Atelier de Joel Robuchon- entre os estrelados pelo Michelin na capital francesa, estes dois são os meus favoritos. No Le Cinq você será bem vindo mesmo que seu francês seja macarrônico, tenha crianças na mesa ou seja daqueles que não comem de tudo. O L’Atelier, ano após ano serve um menu impecável, em um ambiente buchichado. Eu prefiro o ambiente mais casual da filial de St Germain (que não aceita reservas e onde você come no balcão). Quem preferir um pouco mais formalidade, deve escolher a filial do Champs Elysees.

jacquemart andre

No museu Jaquemart-Andre

Museus

Jacquemart-Andre: este museu de artes decorativas fica na mansão que pertenceu a Edouard Andre, uma das grandes fortunas da burguesia francesa do século XIX, e de sua esposa, a pintora Nélie Jacquemart. Juntos, o casal construiu uma coleção de arte decorativa inegualável, que vai de móveis a objetos a pinturas e esculturas. Toda vez que estou em Paris, dou uma passadinha lá. O Viscaya em Miami é uma opção semelhante

O Museu Rodin abriga milhares de esculturas, pinturas, rascunhos, tudo assinado ou de alguma forma relacionado a Auguste Rodin. O jardim, onde ficam esculturas conhecidíssimas, como O Beijo e O Pensador, é o destaque.

Hotéis

IMG_0299

Meu apartamento no Four Seasons George V

Pavillion de la Reine – milhares de pessoas passam pela Place des Vosges diariamente sem ver este hotel, que fica em um Hotel Particulier. Pequeno, aconchegante, com suítes bem francesas e serviço simpático, ele é perfeito para viagens românticas (fiquei neste hotel para comemorar uma aniversário de casamento).

fofo

nosso quarto no hotel Relais Saint Germain — apertadinho mas muito fofo

Relais St Germain – um hotel butique com apenas 20 apartamentos bem no coração de St Germain, e que de quebra tem um restaurante badaladíssimo (o Comptoir mencionado acima). Eu fiquei em um apartamento com vista para o Carrefour de l’Odéon, quem embora pequeno, tinha decoração linda e muita luz. Mas como a rua é barulhenta, tente reservar um apartamento no quarto ou no quinto andar.

Four Seasons George V- um dos hotéis palácios de Paris, o George V tem tudo o que você sonha em um hotel parisiense: localização privilegiada, serviço impecável, restaurante estrelado pelo Michelin. Perfeição com preços correspondentes.

IMG_0295

Nosso apartamento no Four Seasons George V

Na minha última viagem a Paris, alugamos um apartamento pelo Airbnb (veja o post aqui). Acho a opção legal para quem precisa de espaço, ou gosta da ideia de brincar de casinha em uma outra cidade. Pessoalmente, eu senti um pouco de falta das mordomias de hotel.

Dicas de NY para quando você for…

manhattan

O mais novaiorquino dos novaiorquinos

Meu marido nasceu em NY e há anos vem me ensinando os hábitos locais. Como toda cidade, NY tem suas regras, que embora não oficiais, são seguidas à risca pela população:

1. Não olhe. Mesmo que a pessoa sentada do seu lado no metrô esteja pelada, finja que nem percebeu. Os nova-iorquinos se orgulham de não se abalarem com nada.
2. NY é mais formal que a maioria das cidades americanas: apenas os turistam usam tênis,  e a população presta muita atenção às tendências da moda. Mas se você sempre sonhou em se vestir de punk ou usar uma peruca azul, vá em frente. Os nova-iorquinos admiram e respeitam estilo e individualidade.
3. Só os turistas andam no meio da calçada. Nova-iorquinos mantêm à direita e se param, saem do caminho para não atrapalhar os outros pedestres.   

6. No metrô, pegue seu cartão quando estiver descendo as escadas, certifique-se de que a fita magnética está virada para baixo e insira rapidamente, como um cartão eletrônico.

7. Toda vez que eu ouço uau, quanto custa isto? NY é tão cara! Já sei que é turista. Tudo é caro em NY, os moradores aceitam e fingem que não notam.

8. Quando você vir uma pessoa famosa na rua ou no lobby do seu hotel, resista ao impulso de pedir um autógrafo ou uma foto. Os nova-iorquinos simplesmente dão uma olhadinha com o canto do olho, às vezes sorriem delicadamente mostrando que reconheceram, e depois correm para o facebook para contar pros amigos.
9. Nova-iorquinos são loucos por imóveis e não acham estranho se você perguntar quanto eles pagam de aluguel ou quanto custou aquele apartamento com a vista incrível do parque (só park, não Central Park).

10. Novaiorquinos não chamam sua cidade de New York. Manhattan é The City e os outros bairros são referidos por seu nomes: Queens, Bronx, Brooklyn, Staten Island, Long Island, etc.

11. Os residentes nunca olham para cima. Não observam os prédios, as pontes, as igrejas. Mas eles perdem…. aproveite que você é turista… vá em frente e olhe.

Miami na baixa temporada

Distrito Art Deco em South Beach

Distrito Art Deco em South Beach

Junho dá inicio a baixa temporada em Miami, quando os preços despencam vertiginosamente, principalmente se comparados ao período que vai do natal ao fim de fevereiro, quando tudo, mas principalmente os hotéis, ficam caríssimos.

Quem está planejando a viagem em julho, vai pagar preços altos para a parte aérea, mas os hotéis, inclusive os melhores, fazem boas promoções. Vale pesquisar, mesmo que, em princípio, seu orçamento geralmente não encaixe hotéis cinco estrelas. Quer alguns exemplos?

mandarin

O hotel Mandarin Oriental, que fica em uma ilhota na Brickell e é um 5 estrelas de primeira (leia sobre o Azul, o restaurante lindo do hotel neste post) está oferecendo um pacote com café da manhã e estacionamento por USD279 por noite.

bentley-beach-club

A praia do hotel Hilton em South Beach

O Four Seasons oferece a mesma tarifa por noite, com café da manhã; e o Hilton Bentley Bay em South Beach, que é um quarto estrelas respeitável, tem diáriasa partir de USD223 por noite. E em alguns dos hoteis mais econômicos, como o The Shelborne (bom para casais jovens) ou o Newport Beachside Hotel (legal para famílias), as tarifas são ainda mais atrativas.

Além das vantagens oferecidas pelos hotéis, quem vem fazer compras, acaba aproveitando as liquidações que começam no início de junho e estão a todo vapor em julho.

Quem deixar a viagem para agosto, tem ainda mais vantagens: o Miami Spice, a promoção anual em que os restaurantes da cidade, mesmo os melhores, oferecem menus a preços fixos, é uma das melhores oportunidades para se experimentar ótimos lugares a preços bem mais baratos do que no Rio ou em São Paulo.

FPO_MIA_113

Bar do restaurante Edge, que participa do Miami Spice

Mas nem tudo é perfeito na baixa temporada. Chove muito durante o verão, com trovoadas homéricas, e há sempre a possibilidade de furacões, principalmente de agosto a setembro. Furacões fortes são raros, mas mesmo os menores acabam causando problemas, e no mínimo estragam as férias. Não há como evitá-los completamente, mas se você estiver na cidade e um furacão estiver a caminho, tente antecipar seu retorno para o Brasil. Se não for possível, siga as recomendações de evacuação do seu hotel ou da polícia local.

O calorão de Miami é sempre complicado em agosto e setembro, mas quem não liga para isto, não deve hesitar. O verão oferece boas vantagens, principalmente para quem vem para fazer compras e aproveitar os restaurantes.

Programa imperdível: Museum Month

Vizcaya-Museum-and-Gardens

Vindo para Miami neste maio? Aproveite para participar do Museum Month onde o acompanhante entra de graça nos museus da cidade.

Quase todos os museus de Miami participam da promoção, incluindo alguns dos meus favoritos: o Jewish Museum of Florida (post aqui), o Wolfsonian e o MOCA.

viscaya 2

Mas quem tiver tempo de visitar apenas um museu deve ir ao Viscaya Museum & Gardens, uma mansão em estilo renascentista italiano construída entre 1914 e 1916 com residência de temporada do milionário James Deering.

viscaya3

O museu consiste da casa principal, decorada com mobiliário e artefatos que vão do século XV até o início do século XIX.

viscaya4

O quarto do James Deering em Viscaya

O museu fica aberto diariamente das 9:30 as 16:30, fechando nas terças. As visitas guiadas duram cerca de 90 minutos e valem muito a pena.

Para ver a lista completa dos museus que participam da promoção entre no site do evento.