Hotel SLS em South Beach

Imagem cortesia do hotel

Depois de muito atraso, o hotel SLS abrium em South Beach esta semana na esquina da Avenida Collins e da rua 17 em um prédio Art Deco que esteve abandonado por um tempão. O hotel é o segundo da marca nos Estados Unidos, o outro fica em Los Angeles (eu jantei lá recentemente e fiz um post aqui). A novidade fica por conta do retorno do designer Philippe Starck pra Miami, a cidade onde ele criou seu primeiro hotel boutique, o The Delano. Se o SLS daqui acabar parecido com o de LA, o design será típico do Phillipe Stark, ou seja, eclético e criativo ao ponto da exaustão.

O foco do SLS é o beach club, chamado Hyde Beach, com duas piscinas, cabanas privadas, um bar, e claro, a praia. De acordo com o site do hotel, a piscina foi criada pra “ver e ser visto,” como é típico dos hotéis em South Beach. Como o hotel é novo, tudo funciona direitinho, fazendo desse hotel uma boa opção pra quem procura um hotel butique, com muito estilo no meio do buchicho de South Beach.

Eu gostei muito do restaurante do SLS em LA, o espanhol Bazzar by Jose Andrés, e o de Miami também já está bombando. Vale a visita mesmo pra quem nao está hospedado.

Eu recomendaria para casais jovens que querem balada e um hotel com design diferenciado e serviço consistente (tipo um W mais barato).

Anúncios

The Shelborne: hotel Art Deco em Miami Beach

Eu fui conferir a reforma do The Shelborne, um dos hotéis do corredor Art Deco de South Beach que durante muitos anos ficou meio abandonado, mas reabriu recentemente.

A piscina do The Shelborne

Localizado em umas das partes mais hype da Collins Avenue, pertinho do The Delano, do The Setai e de outros hotéis chiques, o The Shelborne teve uns anos gloriosos na década de 40 e a reforma visava resgatar um pouco daquele glamur perdido nas últimas décadas.

Pra mim ficou claro que boa parte dos 20 milhões de dólares da reforma foram utilizados no lobby, restaurante e piscina, pois apenas 50 apartamentos foram reformados. Claro, quem escolhe um hotel nesta região, não pretende passar muito tempo dentro do quarto, mas quem ficar em um dos apartamentos antigos vai acabar decepcionado.

A piscina é o que o The Shelborne tem de melhor. De frente para a praia e rodeada por cabanas equipadas com TV, ar condicionado, geladeira e wi-fi, ela é animada pela clientela jovem e descolada.

O hotel cobra um resort fee de $25, que dá direito a cadeiras de praia, toalhas, um drink na happy hour e café da manhã básico. A tarifa começa em USD269 por noite na alta temporada, bem menos que outros hotéis da região. As cabanas são alugadas por $250 por dia (com este preço, melhor deixar pra lá).

Eu acho o The Shelborne legal para jovens que não esperam muito em matéria de serviço e que querem estar no meio do buchicho de South Beach. Mas principalmente recomendo tentar garantir um quarto reformado.

 

Dica de hotel butique: Mondrian South Beach

Photos of Mondrian South Beach, Miami Beach
This photo of Mondrian South Beach is courtesy of TripAdvisor

Eu estive recentemente no hotel Mondrian em Miami Beach e resolvi fazer um post pois acho ele um dos mais simpáticos entre os hoteis butiques da cidade.  

Localizado em uma rua residencial em South Beach, o Mondrian fica de frente pra Biscayne Bay. Portanto, embora conte com linda vista, não fica diretamente na praia (vale sempre lembrar que a baia de biscayne é uma lagoa ). Aberto há alguns anos, ele faz parte de uma mini cadeia de hotéis butique que inclui o The Delano e o Shore Club. O The Delano foi o primeiro hotel butique de Miami e apesar de não ser mais tão jovenzinho, continua charmoso, bem cuidado e chic. O Shore Club, anda meio mau das pernas e precisando de uma reforminha. O Mondrian é o mais novo dos três e ainda está em boas condições. É também o único em regime de condo hotel, ou seja, há residentes além dos hóspedes.

Como um típico hotel butique, o Mondrian tem design moderno, e nesse caso com toques lúdicos, como a foto da “sereia” no lobby e nos apartamentos. A piscina é o foco, sempre cheia de gente bonita, funcionando como o centro de atividades do hotel.

Os apartamentos são bem espaçosos e todos tem uma kitchenette, o que é uma boa pedida, considerando que o ótimo supermercado Whole Foods fica pertíssimo e os preços do serviço de quarto e do café da manha são bem salgadinhos. Os banheiros são grandes e modernos com produtos o da marca MALIN+GOETZ, mas o ponto central dos apartamentos  é um espelho imenso,  que pode ser interessante ou não, dependendo do seu grau de narcissismo. 

Eu recomendo o Mondrian pra quem quer ficar em South Beach em um ambiente hypado e perto da praia. A clientela é bem jovem e no dia da minha visita vi um rapaz sair do elevador de sunga e botas. Embora não tenha acesso ao mar, os hóspedes podem usar as cadeiras e o serviço de praia do The Delano ou do Shore Club, que ficam a cerca de 15 minutos de taxi. As tarifas na baixa estação começam por volta de 200 dólares e na alta temporada, que vai de dezembro a março, aumentam significantemente. Acesso à internet sem fio custa $35 dólares por noite. A solução é usar o wi-fi gratuito de Miami Beach, que embora lento, funciona muito bem.

Casamento e lua de mel em Miami

O meu casamento aconteceu na idade média

Eu ando com casamento na cabeça ultimamente, pois a minha cunhada vai casar em junho em New York e anda na correria dos preparativos. Embora eu tenha me casado na idade média, ainda me lembro do trabalhão que deu. Sinceramente, acho que se tivesse que fazer tudo de novo, optaria por um casamento menorzinho, só com o noivo e a família mais próxima em um lugar que eu adoro. Assim dá pra fazer um 2 em 1 de casamento e  lua de mel.

Miami é uma ótima opção pra este tipo de casamento, já que quase todos os hotéis estão acostumados a organizar desde festas imensas a casamentos pequenos, só com o noivo e a noiva. O National Hotel em Miami Beach, por exemplo, é um local perfeito pra fazer uma cerimônia na praia, seguida de uma recepção pequena. Todos os preparativos podem ser feitos por email, e o hotel faz recomendações pra tudo o que você precisar, desde o oficiante, a flores até o cabeleireiro.

Recepção no The National

No Four Seasons, recentemente, uma noiva escolheu fazer a cerimônia em uma igreja e depois ofereceu um jantar para 10 pessoas. A noiva mora em Londres e chegou em Miami apenas uns dias antes da festa. O hotel organizou tudo, inclusive o carro da foto.

Quem estiver pensando em vir a Miami pra comprar  vestido de noiva, a Ever After é uma butique de sonho, com vestidos de todos os top designers. A Saks em Bal Harbour tem uma bridal boutique também.

Falando em vestido, eu adorei o meu, que infelizmente não serve mais, mas se eu tivesse que comprar outro, optaria por um da Monique L’Hullier.

Modelito da Monique lHullier

Agora que eu mostrei o minha fotinho vestida de noiva, estou curiosa pra ver o de vocês. Quem me manda uma fotinho vestida de noiva? Adoraria mostrar as leitoras do blog vestidinhas de noiva (ou pelo menos o seu vestido de sonho).

Soho Beach House: hotel descolado em Miami Beach

Eu fui dar uma olhadinha no Soho Beach House, um hotel que faz parte do grupo Soho House de clubes privados. Em Miami Beach como em NY, a marca estendeu o conceito de clube privado com atividades apenas para associados, ao incluir um hotel.

O hotel é decorado em extremo bom gosto, com toques art-deco e uma estética masculina, mas muito convidativa. São 49 apartamentos, sendo que as suítes mais luxuosas ficam entre os andares 9 e 14, com vista para a praia. Os apartamentos, mesmo os menores, são comfortáveis e o mini bar, instalado em um móvel em estilo art deco, é muito bem estocado. As amenities levam a marca do spa do hotel, Cowshed, que é simpático, mas não exatamente luxuoso.

Mini bar no apartamento, soho beach house

Como o hotel fica em uma rua super movimentada, eu recomendaria evitar os apartamentos em andares mais baixos que ficam de frente para a avenida, por  causa do barulho.

A clientela  é jovem e descolada e as áreas reservadas para associados e hóspedes, como o Beach Club no 8 andar com sua piscina para adultos, oferecem um clima exclusivo. A praia atrás do hotel estava lotada durante minha visita e eu percebi que alguns hóspedes não conseguiram encontrar cadeiras. Mas a piscina principal, no primeiro andar e de frente ao mar, estava quase vazia.

Piscina para adultos, soho house, foto de Ropbin Hill

O Soho Beach House me parece perfeito para um casal jovem que quer ficar em Miami Beach com um pouco de tranquilidade em um ambiente hypado, mas que não espera serviço típico de 5 estrelas (fui ignorada pela front desk por vários minutos). Quem ficar hospedado e pretender passar a maior parte do tempo entre as regiões de South Beach, Aventura e Bal Harbour, pode optar por usar táxis, já que a taxa de estacionamento no hotel é $35 por noite. A diária do Soho Beach House em alta temporada fica a partir $425.

Eu ouvi falar que eles começarão a oferecer uma opção diferenciada para sócios não residentes em Miami. Ou seja, pessoas que passam temporadas prolongadas na cidade terão a opção de se associarem, com uma tarifa diferenciada. Assim que esta opção for estabelecida, eu conto tudo pra vocês.

O restaurante hotel, o Cecconi’s, serve comida italiana e fica aberto para o público.Eu conto tudo sobre ele depois de jantar lá na semana que vem.

The Dutch: restaurante da moda

Foto do Mark Roskams

O chefe Andrew Carmellini de NY trouxe para o hotel W South Beach, uma filial de seu restaurante, o The Dutch, servindo pratos baseados na culinária tradicional mas preparados de forma moderna.

A inspiração, segundo o chefe, vem de suas viagens de infância pelos Estados Unidos, mas os pratos vão além, trazendo também os sabores do Caribe, Cuba e Itália.A decoração do The Dutch lembra uma casa de praia das cidades litorâneas de Cape Cod ou de Hamptons, com  paredes de tijolos brancos e mesas de madeira lavada no terraço. O bar de zinco serve frutos do mar, com ênfase nas ostras vindas das melhores regiões produtoras do país.

Eu, no The Dutch

O pão de milho, uma tradição do sul dos Estados Unidos, sai quentinho do forno instalado no meio do restaurante. Uma entrada deliciosa é a pizza de caranguejo azul, que por não levar queijo, deixa o caranguejo e o delicioso molho de tomates com toques de pimenta jalapeño brilhar.  Os mini sanduiches de ostra também são perfeitos para uma refeição leve, enquanto as carnes são servidas em porções fartas, ideais para compartilhar.  A seleção de vinhos tem várias regiões representadas e quem gosta dos franceses do Rhone vai encontrar o famoso Chateauneuf Beaucastel das safras de 95, 98, 99, 200, 2003 e 2009. Uma boa pedida de vinho é o JL Chave 2009 Mon Coeur por $50 (dica do Jason). Espere gastar por volta de $60 por pessoa para entrada, prato principal e sobremesa, sem vinhos.

O The Dutch está na moda e as reservas são essenciais, mas infelizmente, este não é um daqueles restaurantes onde a gente senta e relaxa por horas. No dia que eu fui, o serviço estava super corrido e ficou claro que eles queriam as mesas. Chato, né?

Hotel charmoso em Miami Beach: The Betsy

the betsy hotel

Faz um tempinho que eu não falo de hotéis e como sei que muita gente planeja vir do Brasil para a Winter Music Conference, queria dar algumas dicas de hotéis nos próximos posts.

O The Betsy é um hotel butique que com sua fachada quase colonial, é meio uma anomalia na Ocean Drive, que corta a região mais turística de Miami. Mas este caráter inusitado dá um certo charme e a localização, quase no fim da avenida, é mais discreta e menos brega do que o resto da Ocean Drive.

O lobby do hotel está sempre movimentado em função do bar e do restaurante BLT que faz parte do império do chefe Laurent Tourandel de NY.  A comida de bistro francês é uma delícia e vale a visita mesmo que você não esteja hospedado no hotel. É o restaurante que fornece o room service para o hotel das 8 as 11 da noite, o que é adequado, mas não ideal pra quem gosta de room service 24 hs.

lobby

Os apartamentos são charmosos e decorados em tons de branco com acentos cítricos mas são pequenos, começando em apenas 25 m2. Quem  planeja ficar por vários dias e fazer compras deve escolher uma suite, pois não há muito espaço para se espalhar nos apartamentos standards.

A piscina fica localizada em uma lateral e além de pequena, não pega sol nenhum. Mas a praia fica logo em frente e há um deck no teto do hotel onde dá pra tomar sol.

Por fim, com serviço atencioso, este hotel é uma boa opção pra quem quer ficar em South Beach, no meio de  tudo, andando muito a pé e usando taxi ocasionalmente. Quem quizer explorar o resto da cidade, tem mesmo que alugar um carro. A tarifa do The Betsy nesta época de alta temporada começa por volta de 450 dólares por noite mas depois de abril, como é comum em Miami, o preço cai significantemente.

Os melhores lugares para encontrar celebridades

Não é novidade nenhuma que  Miami é queridinha dos famosos. Só nos últimos dias, a Jennifer Lopez foi vista passeando com o novo namorado na Lincoln Road e o Justin Bieber foi flagrado na praia do hotel Canyon Ranch.  Se você estiver a fim de ver gente famosa por aqui, anote:

Jogo do Miami Heat na American Airlines Arena– o cineasta Spike Lee, a cantora Gloria Estefan e o Enrique Iglesias são figurinhas carimbadas nos jogos de basquete do time local.

Prime 112 – seja a Jennifer Lopez ou o Tom Cruise, os famosos de Hollywood fazem um pit stop neste restaurante.

Club Liv– esta balada é o melhor lugar para dar de cara com rappers como o Pit Bull e starlets como a Lindsay Lohan.

Four Seasons – seja os Rollings Stones ou a Britney Spears, os cantores se apresentando ficam hospedados no Four Seasons.

Liv no Fountainebleau

Restaurante novo: Edge, Steak and Bar

Edge, Steak and Bar, o restaurante do Four Seasons, surpreende pois embora esteja localizado em um dos hotéis mais sofisticados e caros da cidade, é super acessível. Com um bar animado e ambiente jovem, o Edge já está se tornando um dos pontos de encontro na região da Brickell para a happy hour, principalmente em dias ensolarados e frescos, quando a turma toma conta do lindo terraço.

O menu é eclético com ênfase nas carnes e peixes e eu adorei o pato preparado com figos e a corvina com crosta de manjericão em molho de pimenta piquillo. Eu recomendo o tiradito de wahoo ou os tartare de atum pra quem quizer uma entrada leve mas com sabores complexos.

A carta de vinhos oferece mais de 50 opções por menos de 100 dólares e a seleção de cabernets americanos inclui alguns produtores menos conhecidos mas de alta qualidade. Para a sobremesa eu recomendo uma que é a cara de Miami — coffee and doughnuts – bolinhos de canela servidos com espuma de café.

o tiradito de wahoo

Campeonato Sony Ericsson de Tênis

Apesar de ser péssima no tênis, eu gosto do esporte e não há nada melhor do que assistir as partidas ao vivo. Então chega esta época do ano, eu começo a procurar ingressos pro Sony Ericson, o campeonato que acontece em Key Biscayne, a ilhota lindinha que fica ligada a Miami por uma ponte. Os jogos acontecem de 19 de março a 1 de abril, e ainda há ingressos pra todas as partidas. Então ainda dá tempo de planejar a viagem e vir torcer pelo brasileiro Thomas Bellucci (não sei se ele tem muita chance). O site do evento traz todas as informações e várias operadoras brasileiras oferecem pacotes.

sony ericsson

Como em Miami tudo acaba em festa, o Sony Ericsson vira uma desculpa pra ver e ser visto, com famosos assistindo as principais partidas. No ano passado a Ana Wintour, editora da Vogue, assistiu a final entre o Nadal e o Djokovic e causou furor por ter sido flagrada de jeans.

a poderosa editora da vogue americana

Quem for assistir aos jogos mas pretende sair à noite ou fazer umas comprinhas, a minha recomendação é escolher um hotel na Brickell pois o trâfego em Key Biscayne fica impossível durante o evento. Há uma variedade enorme de hotéis na região, dos super luxuosos Mandarin Oriental e Four Seasons, ao mais corporativo JW Marriott. Tem até um hotel econômico mas super simpático, o Hotel Urbano.

Hotel Urbano